O maior palco esportivo de Imperatriz


Principal palco do esporte estudantil da cidade, o Complexo Fiqueninho conforme vem sendo largamente anunciado, está passando por uma completa reforma e reestruturação e se transformará numa Praça da Juventude (programa do Ministério do Esporte para criação de áreas de esporte e lazer em todo o país). O projeto é indicação do ex-deputado federal Davi Júnior e será executado com contrapartida da Prefeitura.

Qual o problema disso tudo?

O Complexo Fiqueninho começou a apresentar sinais de abandono há muitos anos. No último ano do mandato Ildon quem passava na Av. Bernardo Sayão podia ver os primeiros buracos no telhado do ginásio. A coisa foi evoluindo ao longo dos mandatos seguintes, de Jomar e Madeira. A pouco tempo circularam fotos e vídeos da parte interna do ginásio já bastante destelhado e tomado pelo mato.

Por que este importante equipamento público não recebeu a devida manutenção ao longo de todos esses anos? Por quê não os governantes não cumprem com seu dever de zelar pelo patrimônio público?

A emenda para obra é de 2009, primeiro ano da gestão Madeira à frente da Prefeitura. A obra está começando no mês de Agosto de 2012 (último ano de mandato do Prefeito!). E aqui surgiu uma grande discussão…

A Prefeitura alega que o Governo Federal vem dificultando a liberação de recursos, e que ainda assim só liberou 30% dos recursos agora (3 anos depois). Veja a declaração do Secretário de Infraestrutura:

“Nem sempre a apresentação e aprovação de emendas são a certeza de recursos liberados. O município tem alguns milhões de reais já empenhados, com obras licitadas, ordens de serviços emitidas, no entanto o Governo Federal não libera os recursos”, explicou o secretário. Veja link aqui.

O deputado que conseguiu a verba cobrou a Prefeitura sobre o atraso na execução da obra. A Prefeitura alegava que nada podia fazer já que não havia recursos. O Governo Federal dá de ombros.

Afinal, quem tem razão?

Uma pesquisa sobre notícias divulgadas sobre o assunto mostra alguns detalhes que podem ter passado desapercebidos.

Alguns secretários municipais deram a entender que houve mudanças nas normas na liberação de verbas na transição do Governo Lula para Governo Dilma e que essas mudanças estão atrasando a liberação de recursos de convênios federais. Antes havia liberação de 50% do valor da emenda para dar início às obras. Já a nova regra determina que as obras sejam executadas e somente após a verificação da conclusão de cada etapa seja feito o pagamento. Pelo menos esse é o discurso oficial.

O Secretário de Esportes disse que a Prefeitura realizou uma primeira licitação para construir a Praça da Juventude, mas a empresa que ganhou a disputa desistiu antes de iniciar os serviços. Foi convocado então o segundo colocado na licitação que teve 04 meses (que é o prazo legal, segundo o secretário) para iniciar a obra e esta também desistiu. Veja a notícia aqui.

Então no caso da Praça da Juventude, somente após todos os 04 anos de mandato do atual Prefeito (e depois de uma tentativa anterior frustrada) é que conseguiram concluir o processo de licitação e contratação da empresa que finalmente deu início à obra?

E outra coisa quando será entregue a Praça?

  • Em Agosto desse ano, quando iniciado os serviços, uma matéria do Progresso informa que o projeto deveria ser executado em 1 ano e meio (18 meses).  Veja aqui. Portanto, Ago/2012 + 18 meses = Entrega em Fev/2014.
  • Em Setembro o Secretário de Infraestrutura fala num novo prazo de entrega: 8 meses. Veja aqui. Portanto, Ago/2012 + 08 meses = Fev/2013.

De qualquer forma a Praça da Juventude em substituição ao Complexo Fiqueninho será entregue pelo próximo Prefeito (seja ele quem for). Mas espere um minuto…

A duplicação da Av. Pedro Neiva de Santana com verba do Governo do Estado, se arrastou também por longos meses além do prazo inicial de entrega. A maior obra em execução na cidade, o PAC em Imperatriz, coisa de R$ 40 a 50 milhões de reais, segue o mesmo padrão: mais uma obra lançada em último ano do Prefeito anterior (!), mais uma verba do Governo Federal para investimento na cidade e as notícias são as mesmas: construtora abandonando a obra, problemas com licitação, grande atraso na entrega, etc.

Que o futuro Prefeito de Imperatriz não deixe importantes equipamentos públicos sem a devida manuteção até ficarem completamente destruídos. Que seja capaz de executar obras públicas numa velocidade razoável e aceitável. Que possa construir a Imperatriz do futuro.

P.S: Imagine se o Complexo Fiqueninho estivesse bem conservado: talvez pudessem construir a Praça da Juventude em outro bairro e Imperatriz teria então duas grandes praças de esportes.

P.S: Minha homenagem ao Ginásio Fiqueninho, recém-demolido, palco das maiores disputas esportivas em jogos escolares da cidade. 

Anúncios

Sobre othiagosabe

um conceito
Esse post foi publicado em Artigos & Opiniões. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s